AS MELHORES PLACAS DE SINALIZAÇÃO NÃO DEIXAM DÚVIDA QUANTO À INFORMAÇÃO

Com poucas palavras ou uma ilustração é preciso dizer tudo

Entrar no banheiro errado num restaurante gera constrangimento e, às vezes, uma enorme dor de cabeça. E não adianta explicar que a mensagem na placa não estava clara, que você confundiu guarda-chuva com sombrinha. Embora, geralmente, é isso o que acontece: a orientação é ruim. Sabendo que as melhores placas de sinalização não deixam nenhuma dúvida, a ASSESTEC, especialista no produto, vai contar tudo sobre o assunto.

DIREITA OU ESQUERDA?

As primeiras placas de sinalização não explicavam a direção. As pinturas rupestres feitas pelas civilizações pré-históricas eram mais um registro do que já havia acontecido do que um aviso sobre algo. Festas religiosas, grandes lutas com animais ferozes, hábitos cotidianos. Tudo ia para a parede da caverna.
Mas não demorou muito para que o talento desses artistas fosse usado para algo mais, digamos, comercial. Os romanos começaram a anunciar lutas entre gladiadores. Os fenícios pintavam rochas em vias movimentadas para promover a venda de seus produtos. Em Pompéia, cidade soterrada pelo vulcão Vesúvio, os arqueólogos descobriram, durante uma escavação, inscrições numa parede pedindo votos para políticos.

A EVOLUÇÃO

A prática nascida lá na antiguidade foi sendo aprimorada, diversificada e refinada. Surgiram placas esculpidas e pintadas em madeira, ou fabricadas em ferro fundido. Até o século 20, como as casas não tinham numeração e pouca gente sabia ler e escrever, os comerciantes usavam placas em suas portas com uma ilustração do que vendiam. O sapateiro mandava fazer uma placa com, claro, sapatos. O açougue mandava desenhar um boi. E assim por diante.

TEMPOS MODERNOS

E a partir dos anos 50, vieram o metal estampado, porcelana esmaltada e os polímeros sintéticos, como plástico, isopor, poliestireno, polietileno, vinil. As empresas de comunicação visual passaram a contar com uma grande gama de materiais para produzir peças cada vez mais resistentes e úteis na transmissão da mensagem. Hoje, os processos automatizados permitem a confecção das melhores placas de sinalização por um custo muito acessível.

COORDENANDO O MUNDO

A sinalização visual é responsável por boa parte das decisões que tomamos num dia. Você dirige se orientando pelas placas de trânsito, descobrindo se pode virar à direita, fazer um retorno ou estacionar. No supermercado, são as placas que informam em qual corredor está o produto que estamos procurando. É a sinalização que explica onde colocar o lixo orgânico e o que pode ser reciclado. São as placas que informam para onde ir em cada hospital, em todas as repartições públicas, nas lojinhas de bairro e nos grandes centros comerciais, no ponto de ônibus e no aeroporto.
Sem as placas, viveríamos num mundo em que precisaríamos parar cada pessoa na rua em busca de informações. Seria bem cansativo e improdutivo. Se você tem dúvida, experimente passar um dia ignorando os avisos de sinalização e abordando estranhos no caminho para perguntar, perguntar, perguntar…
Boa sorte!